quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Carpe Diem.


Carpe Diem, vive o dia, vive o momento. Vive. 
Da teoria à prática vai uma distância enorme, e embora saibamos a teoria de cor, o certo é que nem sempre a colocamos em prática tal como devíamos. Vivemos o dia-a-dia na espera do amanhã. Vivemos a fazer planos, a adiar o que se queria fazer hoje, para amanhã. Vivemos cada dia a pensar num futuro que idealizamos, um momento que não está e não é presente. Um momento que não sabemos se chegará, mas em prol do qual abdicamos de momentos, de pequenos prazeres, hoje. Até esse Carpe Diem fica adiado até amanhã. Até depois de amanhã. Estranhamente, ou até erradamente, até que a vida o permita. Pensamos nós.